quarta-feira, 8 de setembro de 2010

ILHA DAS FLORES, DEPOIS DE 22 ANOS, CONTINUA SENDO ATUAL


Segundo pesquisa, ele foi reconhecido mundialmente, sendo considerado pela crítica européia com um dos melhores 100 filmes do século.
O autor mostra de forma contundente como o sistema econômico, no qual estamos inseridos, contribui para a desigualdade e a indiferença com a necessidade alheia. Através de fatos corriqueiros, o autor narra a  trajetória de alguns personagens divididos em classes sociais: uma dona de casa que vende produtos de beleza para ajudar no orçamento doméstico, um produtor de tomates, um fazendeiro e criador de porcos e finalmente os moradores da Ilha das Flores. Na narrativa, muitas informações são mostradas através de uma linguagem científica, cuja  a intenção é a de  “igualar” o ser humano por meio de descrições que denotam a raça humana. Contudo, mostra o desigual tratamento dado aos “iguais” seres humanos, colocando-os inferiores aos porcos. Na concepção do autor, o que determina a diferença entre os humanos é sua classe social, os bens que possui.

Mulheres e crianças que se alimentam de restos que foram descartados por tratadores de porcos e considerados como impróprio para o consumo, podem parecer, para muitos, sentimentalismo ou exploração da desgraça alheia,  no entanto  são fatos, e como tais devem ser apresentados. Graças a  iniciativas como essas, a questão pode ser retomada nas rodas de conversas ou, pelo menos,  nas cadeiras das universidades. Ilha das Flores, uma comunidade de Porto Alegre no Rio Grande do Sul, foi o cenário dessa história, mas poderia ser qualquer outra das muitas existentes em igual condição no Brasil e no mundo. As opiniões em torno do tema são divergentes, contudo isso não impede que um desejo seja unânime: que não existam mais “ilhas das flores”.    
 http://pt.shvoong.com/entertainment/movies/1861005-ilha-das-flores/


Reflitam!!
               Érica Sena





8 comentários:

  1. Respostas
    1. a ilha é essa onde estavam os porcos e o lixo e as familias o nome ilha das flores não tem muito a ver com a ilha

      Excluir
  2. É impressionante a situação precária daqueles aqueles seres humanos e tudo o realizam para tentar sobreviver.
    Aquelas pessoas são cidadãos iguais(de coração) como todos nós e merecem o devido respeito, pois as mesmas são tratadas piores que animais, literalmente, e ninguém move uma "palha" que seja para mudar aquela situação.

    ResponderExcluir
  3. Des do meu tempo de escola eu vejo a situação da ilha das flores, hoje a mais de 20 anos depois continua a mesma situação precária. Quando um órgão maior vai olhar para esse lugar e ver que nem bicho pode viver nessa situação que esses seres humanos vivem.
    Rezo para que um dia essas pessoas vivão como todos na sociedade, porque do jeito que esta não da mais!

    ResponderExcluir
  4. A película só peca pela falta de conhecimento histórico sobre a construção do muro, que está “Situado às margens do Guaíba, entre o Porto e a Av. Mauá, fazendo parte do Sistema de Proteção Contra Cheias, que é constituído de 68 quilômetros de diques, 14 comportas e 19 casas de bombas. O Sistema de Proteção foi construído a fim de evitar catástrofes semelhantes à enchente de 1941”. A alusão a respeito é um tanto quanto dramáticao. E, em relação ao contexto, está claro que perdemos o discernimento do que representa humanidade. Será que é admissível sobreviver do que foi refusado para a alimentação dos porcos? A nossa solidariedade só existe para desabrigados de enchentes, ou desmoronamentos, ou qualquer outra tragédia que se refira ao clima? Estamos evoluindo em tecnologia e nos embrutecendo ante as relações humanas. Como é possível coexistir com tanto desdém? Alguém tem que assistir a essas criaturas. Por Deus! A que ponto chegamos!! Desolador... Indizível...

    ResponderExcluir
  5. como está lá hoje em dia????
    não foi dito ou não consegui enxergar, onde está escrito?
    fui uma vítima de um título mal construído?

    ResponderExcluir
  6. Lucas Correa Almeida25 de junho de 2017 19:06

    Como está hoje na ilha?

    ResponderExcluir
  7. Estou pesquisando como está a ilha nos dias atuais, e seu título me trouce aqui. Além do título, não há nada sobre o que estou querendo saber. :/

    ResponderExcluir